Império Carolíngio

O império Carolíngio ou Sacro Império Romano ou ainda Império dos Francos.
Era como se denominava o Império de Carlos Magno. Ele teve papel importante na tentativa de conveter os povos bárbaros ao catolicismo.
Com o fim do império Romano do Ocidente em 476, surgem pequenos reinos bárbaros, entre eles o Reino dos francos. Com a morte de seu pai e de seu irmão, Carlos Magno assume o trono e inicia uma série de conquistas, ampliando as fronteiras de seu reino.
O império carolíngio não tinha sede fixa ou seja capital. Ela era onde o imperador e sua corte se encontravam. Embora a cidade onde o imperador passava mais tempo era Aquisgrã,no palácio das fontes de águas quentes.
Em 768, Carlos Magno, assumiu o trono e governou até 814. realizou muitas conquistas, expandindo as fronteiras do império. Com isso Carlos garantiu a dependência entre poder central e nobreza. Porque parte das terras conquistadas eram doadas à aristocracia que por sua vez tinha um compromisso de lealdade para o rei-susserano.
As vitórias de Carlos Magno expandiram não só seu território mas também a fé católica sobre as outras religiões.
Suas maiores conquistas foram:

773 - derrotou os lombardos anexando em seu território o norte da Itália.

778 – estabeleceu uma posse franca na Espanha.

804 – submeteu os saxões que haviam no norte do seu reinado.

O êxito de suas conquistas teve o apoio da igreja. Em 800, Carlos Magno recebeu do Papa Leão III a bandeira de Santo Sepulcro, sendo aclamado ‘’ imperador dos romanos’’. Pois Carklos magno declarou que seu império era Herdeiro e sucessor por direito do Império Romano.Nasceu assimo Sacro império Romano,Mais conhecido populamente e Historicamente como Império Carolíngio. Seu Império foi o mais extenso da Europa Ocidental.

A propriedade da terra era a fonte de riqueza e de prestígio.

Para administrar um império tão grande , Carlos Magno estabeleceu muitas normas escritas, as chamadas capitulares, que funcionavam como leis.

Entre os administradores estavam:

» Condes: responsáveis pelo cumprimento das capitulares e pela cobrança de impostos dos condados,ou seja, territórios do interior;

» Marqueses: cuidavam dos territórios situados na fronteira do império, ou seja, das marcas.

» Missi-dominici: inspetores do rei, que viajavam por todo o reino para fiscalizar a atividade dos administradores locais.

Carlos Magno preocupou-se em promover o desenvolvimento cultural de seu reino. Então ele , apoiado por intelectuais, abriu escolas e mosteiros, apoiou a tradução e a cópia de manuscritos antigos e protegeu artistas.
Seu governo foi marcado por atividade intelectual nas áreas das letras, artes e educação. Isso foi chamado de Renascença Carolíngia, que contribuiu para a preservação e transmissão da cultura da antiguidade clássica.
Após a morte de Carlos Magno, em 814, o governo passou para seu filho Luis,O piedoso,que permaneceu no poder até 841. Isso mostra que o grande Império de Carlos Magno não durou muito. Porque já com os seus netos começaram as disputas.
Seus netos eram: Lotário, Carlos o calvo e Luis o Germânico. Depois que esgotaram o império os irmãos assinaram o Tratado de Verdum de 843.
Esse tratado dividia o Império em três partes:

A Luis coube a França Oriental( atual Alemanha);Carlos herdou a França Ocidental( atual França); Lotário ficou com o território do centro da atual Itália até o Mar do Norte, que se chamou Lotaríngia ou Reino de Lotário.

Essa divisão do poder real e do território foi acompanhada de uma crescente autonomia e independência dos Condes.

A parte que ficou com Luis deu origem a um novo império, o Germânico. Até o século X, os grandes senhores feudais daquela região eram fiéis aos descendentes de Carlos Magno. Após o fim da dinastia Carolíngia, a Germânia passou a ser controlada por cinco famílias , onde o poder das terras ficaram divididas em cinco ducados:
Saxônia, Lorena, Francônia, Baviera e Suábia.

Entre estes reis não havia sucessão dinástica.

Os reis germânicos continuaram na tradição Carolíngia e aliaram-se ao Papa, levando o nome do império para Sacro Império Romano-Germânico.
Este império durou até o início do século XIX, quando foi destruído pelas guerras napoleônicas.
E assim mais um império desaparece, deixando para as gerações seguintes sua cultura e personagens importantes para serem estudados e assim lembrados mais uma vez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário